Corpo docente

INFORMAMOS QUE OS JUÍZES NÃO PRESTAM QUALQUER ATIVIDADE DE COACHING, SIMILAR OU CONGÊNERE. EVENTUAIS SERVIÇOS DE ASSESSORAMENTO SÃO PRESTADOS POR PROFISSIONAIS DE OUTRAS CARREIRAS JURÍDICAS.

ACLÉSIO MOREIRA é licenciado em Matemática pela Universidade de Brasília (UnB) e pós-graduado em Matemática pela mesma instituição. É ex-professor e coordenador da equipe de Matemática do Colégio Militar Dom Pedro II, militar do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBM/DF), além de professor das disciplinas de Matemática Básica, Matemática Financeira, Raciocínio Lógico e Estatística há mais de 15 anos, em Brasília, em diversos cursos presenciais e online.

ALAN MARQUES tornou-se procurador do estado de Goiás aos 26 anos. Antes de se tornar procurador, foi aprovado para a prova oral do concurso da magistratura do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), mas não pôde realizá-la em virtude de não possuir, à época, três anos de prática jurídica. Ainda na faculdade, foi aprovado no concurso de advogado da Caixa Econômica Federal (CEF), em 8º lugar, e no de assistente técnico administrativo do Ministério da Fazenda.

ANDRÉ ALISSON LEAL TEIXEIRA, aprovado para promotor de justiça do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e para defensor público do Ceará, atualmente é analista judiciário no Supremo Tribunal Federal (STF), lotado no gabinete do ministro Teori Zavascki e aprovado quando ainda estava no oitavo semestre do curso de direito. Também obteve aprovação para oficial de justiça nos Tribunais Regionais Federais (TRFs) da 1ª e da 5ª Regiões, para técnico judiciário do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e para agente administrativo da Polícia Federal, cargo para o qual foi nomeado aos 18 anos de idade.

ÁTILA ABIORANA Bacharel e Licenciado em Língua Portuguesa e Respectiva Literatura pela Universidade de Brasília - UnB. É especialista em elevar o rendimento de candidatos em concursos públicos. Desde 2001, ministra aulas de Língua Portuguesa, em grandes cursos preparatórios para concursos no DF e em outros estados, presenciais e online. Realiza treinamentos, palestras e assessoria linguística em empresas privadas, órgãos públicos, escolas particulares. Atua ainda como revisor de texto, elaborador de provas em banca examinadora no DF. Já atuou como assistente editorial no Instituto de Letras da UnB, como colaborador na Escola de Aperfeiçoamento de Profissionais da Educação - EAPE/SEDF. Por meio de sua metodologia prática, consegue simplificar conceitos complexos por meio de conexões incomuns entre os tópicos gramaticais que conduzem à compreensão lógica das estruturas da língua portuguesa, o que, segundo seus alunos, torna o aprendizado fácil, rápido, profundo e objetivo – garantia de bons resultados.


DANIEL PINHEIRO DE CARVALHO é Promotor de Justiça no MPDFT, aprovado em 1º lugar no 31º Concurso. Anteriormente, foi assessor de Ministro do STF e Advogado da União (aprovado aos 23 anos, no mesmo ano de sua colação de grau). Ainda durante a graduação em Direito na Universidade de Brasília – UnB, obteve o 1º lugar no concurso para o cargo de Analista Judiciário do Superior Tribunal de Justiça (2008), e foi aprovado, entre outros, nos concursos para os cargos de Analista Processual do Ministério Público da União (2007) e Analista Judiciário do TJDFT (2008). Co-autor dos livros de questões comentadas #VouSerJuiz, da ed. CP Iuris, e do Exame da OAB – 1ª Fase, da editora Vestcon, de 2010, e autor de diversos artigos.


DENIS FRANÇA é advogado da União e professor de cursos preparatórios para concursos desde 2009. Ex-professor temporário do Departamento de Direito Público da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), onde lecionou Direito Administrativo, Direito Constitucional e Direito Penal. Aprovado em mais de 20 concursos públicos.

FABIANA PERILLO é tabeliã no Distrito Federal e foi aprovada em 1º lugar no último concurso para cartórios extrajudiciais do DF em 2015, tendo obtido nota 9,90 na prova oral realizada pelo Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe). Ex-juíza de direito substituta do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), tendo sido aprovada em 5º  lugar. Anteriormente, ocupou os cargos de procuradora do Banco Central (1º lugar no concurso) e de analista do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ficando em 8º lugar no respectivo concurso. Recentemente, foi aprovada nos concursos da Defensoria Pública e da Procuradoria-Geral do Distrito Federal.

JAYLTON LOPES JUNIOR é juiz de direito substituto do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), aprovado em 4° lugar e professor de Técnicas de Sentença Cível do CP Iuris. É autor do livro Sentença Cível Descomplicada – Técnicas de Construção e Esquemas de Estruturação" e coautor do livro "#VouSerJuiz – 480 Questões Objetivas Comentadas", ambos pela editora CP Iuris. Foi aprovado nos concursos para os cargos de analista judiciário, na área de execução de mandados do TJDFT; de promotor de justiça do Ministério Público Estadual do Tocantins (MPTO); e de promotor de justiça do Ministério Público do Estado de Rondônia (MPRO). Também foi aprovado e classificado para a prova oral do concurso para juiz de direito substituto do estado do Rio Grande do Norte, tendo desistido de prestar a referida prova em razão da posse no cargo de juiz de direito substituto do TJDFT.

LEOPOLDO MARTINS MOREIRA NETO Aprovado nos concursos para Juiz Substituto do TJPB (CESPE - 2016) e do TJSE (FCC - 2017 - 8º lugar, sendo o 2º lugar da prova oral). Também possui aprovações em concursos de Procuradoria Municipal e Analista. Idealizador do perfil “Magistratura Estadual em Foco”. Formado pela FAESA - Faculdades Integradas Espírito-Santenses. Pós Graduado em Direito Tributário pelo IBET.

LORENA ALVES OCAMPOS tornou-se juíza de direito substituta da justiça do Distrito Federal aos 26 anos (6º lugar), obtendo a maior nota na prova de Sentença Penal (8,47). Foi aprovada, entre outros, nos concursos para os cargos de técnica judiciária do Ministério Público da União (MPU) e de analista judiciária do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Antes de ser juíza, foi técnica e analista judiciária do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), entre 2010 e 2014, exercendo a função de oficial de gabinete por quatro anos. Pós-graduada em Direito e Contemporaneidade pela União Pioneira de Integração Social (UPIS/DF) em convênio com a Escola da Magistratura.

LUCAS SALES DA COSTA tornou-se juiz de direito substituto da justiça do Distrito Federal aos 26 anos. Aprovado nos concursos de juiz federal do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) e de analista do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região (TRT-7), também foi advogado da União, lotado na Procuradoria-Regional da União da 1ª Região. É ex-técnico judiciário do TRF-5, com atuação em gabinete de juiz federal, pós-graduado em Direito Processual Civil Individual e Coletivo pela Faculdade Christus (CE) e pós-graduado em Direito Constitucional pelo Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP/DF). Coautor da obra "#VouSerJuiz – 480 Questões Objetivas Comentadas", da editora CP Iuris e a autor do livro "Constitucionalismo, Direitos Sociais e Atuação do Poder Judiciário", pela editora Gazeta Jurídica.

MARCELA MUNIZ é advogada da União, graduada em direito pelo Centro Universitário do Distrito Federal (UDF), com atuação na área de licitações e contratos administrativos. Sua primeira aprovação em concurso público foi aos 18 anos, quando começou a trilhar o caminho dos estudos. Logo ao ingressar na graduação foi aprovada no concurso de nível médio no Ministério da Saúde, onde chegou a exercer o cargo de chefe da Divisão Judiciária na Consultoria Jurídica do Ministério. Foi então que descobriu sua verdadeira vocação para a advocacia pública, logrando êxito na aprovação do tão sonhado cargo de advogado da União, pouco tempo depois da graduação.

MARIANA FRIZZERA é advogada do Senado Federal. Aos 26 anos, foi aprovada no XIII Concurso para juiz federal da 1ª Região, encontrando-se sub judice por não ter os três anos de prática jurídica. Antes de ser advogada do Senado, foi advogada da União (2009) e analista judiciária do Supremo Tribunal Federal (STF) em 2008. Também foi aprovada, entre outros, nos concursos de analista judiciário do Tribunal Superior do Trabalho (TST) em 2007; do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT-1) e do Superior Tribunal de Justiça (STJ) em 2008. É mestre em Direito, Estado e Constituição pela Universidade de Brasília (UnB). Atualmente, ocupa o cargo de secretária da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado. 

RAFAEL GONÇALVES SANTANA BORGES tornou-se procurador do estado de Goiás aos 24 anos. Foi aprovado, ainda com 24 anos de idade, em 3º lugar no concurso nacional para procurador do Banco Central, obtendo a segunda maior nota da prova oral (97,01). Logrou aprovação no concurso de defensor público do estado do Tocantins em 24º lugar, poucos meses após sua colação de grau (2013). Aprovado igualmente para o cargo de procurador do município de São Paulo, tendo chegado também à última fase (teste de aptidão física) do concurso para delegado da Polícia Civil do Paraná (PCPR) – não o realizando em virtude da coincidência de datas com outros certames.

RAFAEL ROCHA atualmente é promotor de justiça do Ministério Público do Estado da Bahia (MPBA). Também é ex-procurador federal chefe da Procuradoria Federal Especializada do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em Barreiras (BA); ex-professor de cursos preparatórios para concursos; ex-professor da Faculdade de Direito Dom Pedro II, no campus de Barreiras (BA). É pós-graduado em Direito Público, Direito Constitucional, Direito do Trabalho e Direito Processual do Trabalho na Universidade Anhanguera (Uniderp/Rede de Ensino LFG). Foi aprovado no concurso para técnico judiciário do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA) em 2006; e no concurso para técnico judiciário do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5) em 2007. Além disso, também foi aprovado nos concursos para agente da Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) em 2008; para agente federal de execução penal (2009); e para delegado da Polícia Civil do Estado da Bahia (PCBA) e procurador federal em 2013.

ROBERTA QUEIROZ é graduada em Direito pela Universidade Católica de Brasília (UCB) e especialista em Direito Processual Civil pela Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), Roberta é mestranda em Direito pela Universidade Católica de Brasília  (UCB), com enfoque em Direito Público. Além de ser advogada atuante na área de Direito Privado e Direito Administrativo, também é professora com larga experiência em cursos preparatórios para concursos.

ROBSON DIAS tem bacharelado em Sistemas de Informação, pós-graduado com MBA em Gestão de Redes e Segurança de TI, com certificação ITIL Foundation, vasta experiência na área de Ciência da Computação, ênfase em segurança e recuperação de dados. Consultor com mais de 17 anos atuando nas plataformas Microsoft e Linux, sólidos conhecimentos em administração de redes e backup de grande porte. Atuação como gerente de projetos, coordenador e líder de equipes de NOC, Fábrica de Backup, Gerência de Mudanças e Service Desk nos seguintes clientes: Justiça Federal, Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10), Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Caixa Econômica Federal (CEF), Banco do Brasil, Sebrae e Infraero.

RODRIGO DE OLIVEIRA MACHADO é promotor de justiça adjunto do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), classificado em 9º lugar. Aprovado nos concursos de promotor de justiça do Ministério Público dos Estados de Roraima (MPRR) em 6º lugar e do Tocantins (MPTO). Como defensor, foi aprovado na Defensoria Pública dos Estados do Espírito Santo (DPEES) e de Rondônia (DPERO). Ainda, foi aprovado para concursos de analista judiciário do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) em 2º lugar e analista do Ministério Público da União (MPU), dentre  outros. Foi advogado orientador do Núcleo de Assistência Jurídica do Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Possui pós-graduação nos campos da "Ordem Jurídica e o Ministério Público" e dos "Direitos Indisponíveis". E é autor das obras “Aplicação da Lei Maria da Penha a Homens Vítima de Violência Doméstica” e “A Natureza da Ordem dos Advogados do Brasil", ambas pela editora Sal da Terra.

RAQUEL BUENO  Formada em Direito pela Universidade Católica de Brasília, Especialista em Direito Civil e Processo Civil pela Universidade Cândido Mendes-RJ, Mestranda em Direito na Universidade Católica de Brasília, professora de Direito Civil da graduação da Universidade Católica de Brasília e IESB, da pós graduação em Direito Civil da UniEvangélica de Anápolis-GO e professora com larga experiência em cursos preparatórios para concurso, onde ministra as disciplinas de Direito Civil e Direito Processual Civil.

SAMER AGI tornou-se Juiz de direito substituto do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) aos 25 anos, tendo logrado êxito no concurso em 3º lugar (deixou de ocupar o 1º lugar apenas na fase de títulos), sendo o 1º colocado da prova oral e tendo alcançado a nota 9,88 na prova de Sentença Penal. Antes de ser juiz, foi delegado da Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO).

THAISA MAYRA DE PAULA BOTELHO Aprovada para promotora de justiça do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, atualmente é Delegada de Polícia da Polícia Civil do Distrito Federal. Foi aprovada também no concurso púlico para Juiz Substituto do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe (TJSE) e no concurso público para provimento de cargos de Delegado de Polícia da Polícia Civil do Estado do Rio Grande do Norte (PCRN). Foi Agente de Polícia da Polícia Civil do Distrito Federal em maio de 2010.